Buscar

Empresária incorpora sustentabilidade a seu negócio e vira referência no setor de turismo


O local abriga um hostel, um café, uma loja e uma galeria; tudo isso agregado aos cuidados com a natureza

A ligação com o meio ambiente vem da infância. Eduarda Guimarães de Almeida conta que cresceu ajudando a avó com a horta, sempre perto da terra e da natureza, e foi nessa época que sua paixão pela temática ambiental começou a aflorar. Formada em Tecnologia em Processos ambientais pela UTFPR, viajou por vários países atrás de experiências, mas a vida mudou em 2011 quando participou de um projeto laboratório da Organização das Nações Unidas (ONU) chamado “Studio Cidade e Biodiversidade”.


Foi nessa época que a empresária decidiu abrir seu próprio negócio. A ideia era montar um espaço que apresentasse às pessoas os conceitos de educação ambiental de forma leve e prazerosa, um espaço que trouxesse a harmonia homem e natureza, explicando a importância do cuidado com os ecossistemas. De lá para cá já se passaram quase 10 anos, e em março de 2019, o primeiro hostel com conceitos sustentáveis do Brasil saiu do papel. E segundo Eduarda, não foi um processo fácil, já que não existia nada nesse sentido na região.


“Criar O Bosque foi um desafio longo e intenso. Tive que descobrir o passo a passo para empreender nesse sentido, já que infelizmente o Brasil ainda é pouco desenvolvido nesse quesito, e naquela época então, era ainda pior. Comecei um estudo do zero, analisei desde o sistema burocrático, as leis e até as possíveis parcerias. Tudo requer algum tempo. Tive que conversar com profissionais, explicar o meu projeto e até conduzir trabalhos como o de reutilização de materiais, que muitos não estão acostumados. Eu brinco que é um trabalho de abelha, que tem que levar e trazer o bem, criando essa mudança de comportamento”, avalia a empresária.


Tudo foi pensando com muito cuidado para que pudesse incorporar da maneira não previsível e possível a sustentabilidade. A começar pelo local escolhido para o desenvolvimento do projeto, Curitiba, uma das referências brasileiras nesse setor. O hostel fica ao lado de um dos pontos turísticos mais bonitos da cidade, o Museu Oscar Niemeyer, em uma rua arborizada e tranquila. Sua reconstrução levou 4 anos, pois a casa que existia no local é da década de 1970 e foi completamente reformada com base na permacultura e na reutilização de materiais. As paredes que precisaram ser construídas são de barro, o verde está presente em todo o terreno, as tintas utilizadas são feitas de pigmento mineral, o telhado é original assim como a superfície de coleta de chuva. A energia é solar e produzida in loco, e os tetos verdes trazem beleza e frescor à estadia.


A decoração também foi pensada pela empresária. Baseada nos conceitos do slow design, tem um ar aconchegante e tranquilo, com livros da família, almofadas de resíduos têxteis, camas feitas de bambu – que vem da região metropolitana de Curitiba, incentivando o comércio local -, os lençóis são orgânicos, as panelas de tecnologia de cerâmica livre de tóxicos, as luminárias de papelão. “Dentro do O Bosque tudo se transforma. Mais do que o visual, nós nos preocupados com o de onde vem e para onde tudo isso vai. O impacto que geramos pode mudar a nossa qualidade de vida, aqui e agora. É um lugar que preza pela profundidade da experiência: parar, aproveitar e sentir”, completa.


Além do hostel, o espaço ainda abriga uma loja conceito “Lixo Zero”, a primeira do sul do país, com uma seleção de artefatos de comunidades indígenas, cerâmicas, produtos elaborados com resíduos têxteis, joias naturais, canudos inox, arranjos, ilustrações, cosméticos naturais e muito mais. E em janeiro do 2020, será inaugurado a Local pães e cafés especiais, tudo isso conectado ao movimento ambiental. “A nossa proposta é que o espaço seja um hub de sustentabilidade, um modelo inédito aqui no Brasil, com hospedagem, loja, café, eventos que atraiam turistas de todos os cantos do mundo “, finaliza.


Sobre O Bosque hostel

Inaugurado em 2019, O Bosque hostel traz um conceito inédito ao segmento: a construção natural e de permacultura, ele tem como objetivo principal criar uma rede de multiplicadores de impacto, fazendo com que seus visitantes possam viver e compartilhar um pouco dessa realidade. O hostel funciona todos os dias da semana e aceita todos os cartões. Para mais informações acesse www.obosquehostel.eco.br ou as páginas oficiais da marca no Instagram https://www.instagram.com/obosquehostel/ e no Facebook https://www.facebook.com/obosquehostel/